Are you the publisher? Claim or contact us about this channel


Embed this content in your HTML

Search

Report adult content:

click to rate:

Account: (login)

More Channels


Channel Catalog


Channel Description:

"Só quem não viveu não tem histórias para contar"
    0 0





    Homenagem à Ilustre Poetisa SILVIA MOTA




    0 0


    Teus olhos - Tanto dizem no silêncio que sorri.
    Cristalina lágrima que cai,

    Fazendo-me doce carinho na dor -

    Nesta impotência de saber eu,

    Que, poesia, não abraça:

    O ADN nos digitais, destas minhas mãos que trazem

    Na memória, o caminho do teu coração


    Ronilda David/Loubah Sofia


     Alma feita de Ti.


    0 0



    Foto Hélder Fernando Gonçalves
















    Sabe…
    Eu sou feita de cacos de vidro

    Entre eles há espelhos, aço,

    E pedacinhos de margaridas.


    Por vezes machuco quando tento dar

    carinho.


    Mas me perdoa...


    Peço  perdão...


    Mas não vê que sou bem-me-quere

    E mal-me–quere também?


    Se às vezes cego seu olhar com

    Lágrimas de tristeza.


    Perdão, perdão Meu Aba adorado...


    O aço quando fundido ele derrete

    E queima.


    Não foi por mal querer.


    Sou feita de fragmentos de espelhos

    Onde vê em minha alma o feio e o belo,

    a imperfeição do que não sou perfeita

    Por isso se muitas vezes por palavras e

    atos.


    Já dilacerei o seu coração

    Peço com humildade...


    Me perdoe

    pois sou tão humana quanto és humano.


    Sei que sou feita de cacos de vidro, que

    corta, fere, reflete as vezes não o

    melhor de mim, e sim o pior.

    Mas peço não me queira mal, perdoe-me!


    Sou apenas uma estrangeira na terra de

    ninguém.


    Em carne e osso muitas vezes

    desacertando para acertar.

    Perdão...


    Ronilda David/Loubah Sofia

    Em “Deuses, Diabos & Lobos”





    0 0

     


    Foto Hélder Gonçalves

     

      

    Às vezes gritos de corações justos em silêncio, calam profundamente os brutos.
    Por isso, não se mede o valor d’um pássaro pela altura do seu vôo, nem pelo colorido de suas penas.
    Mas...
    Por sua capacidade de cantar na tempestade


     

     

    Loubah Sofia em o Ballet dos Camelos




    0 0





    Uma palavra
    Cinco letras
    Tudo dito
    Uma palavra
    Não proferida
    Demais sentida
    Magoada
    Uma palavra
    Mil silencios
    Olhos a brilhar
    Mãos largadas
    Lentamente
    Olhares tensos
    Última chamada
    Um vai ficar
    Fim de tempo
    Costas voltadas
    Outro seguirá
    Voará nos céus
    Irá voltar?
    Uma palavra
    Cinco letras
    Adeus!


    Hélder Gonçalves
    Novembro 2013



    0 0

    Nossa Page no Facebook

    Comentários
    Carlos René Oliveira
    Carlos René Oliveira 

    Belo Poema. Como seria a Vida se optássemos sempre em lutar por aquilo que tivéssemos certeza da vitória. Aquela loteria fraudada a todo momento. Um ou muito amor é necessário para se enfrentar a barra do nosso tempo, impregnado por tantas lutas absurdas, necessárias, cruéis. Até algumas ditas religiosas, fanáticas. É o que examino, com satisfação, na "Minha Luta" do Escritor e Poeta Português Helder Fernando Gonçalves . E o de maior relevo é que das palavras, no exame psicológico de fundo, sinto que ele vive as palavras, não sendo elas um mero exercício intelectual. Cumprimentos ! ! ! * * * * * Brasília-DF, 02/08/2016. Anexo texto do Mestre-Poeta Vinícius de Moraes. Para Viver Um Grande Amor

    Vinicius de Moraes

    Para viver um grande amor, preciso é muita concentração e muito siso, muita seriedade e pouco riso — para viver um grande amor.

    Para viver um grande amor, mister é ser um homem de uma só mulher; pois ser de muitas, poxa! é de colher... — não tem nenhum valor.

    Para viver um grande amor, primeiro é preciso sagrar-se cavalheiro e ser de sua dama por inteiro — seja lá como for. Há que fazer do corpo uma morada onde clausure-se a mulher amada e postar-se de fora com uma espada — para viver um grande amor.

    Para viver um grande amor, vos digo, é preciso atenção como o "velho amigo", que porque é só vos quer sempre consigo para iludir o grande amor. É preciso muitíssimo cuidado com quem quer que não esteja apaixonado, pois quem não está, está sempre preparado pra chatear o grande amor.

    Para viver um amor, na realidade, há que compenetrar-se da verdade de que não existe amor sem fidelidade — para viver um grande amor. Pois quem trai seu amor por vanidade é um desconhecedor da liberdade, dessa imensa, indizível liberdade que traz um só amor.

    Para viver um grande amor, il faut além de fiel, ser bem conhecedor de arte culinária e de judô — para viver um grande amor.

    Para viver um grande amor perfeito, não basta ser apenas bom sujeito; é preciso também ter muito peito — peito de remador. É preciso olhar sempre a bem-amada como a sua primeira namorada e sua viúva também, amortalhada no seu finado amor.

    É muito necessário ter em vista um crédito de rosas no florista — muito mais, muito mais que na modista! — para aprazer ao grande amor. Pois do que o grande amor quer saber mesmo, é de amor, é de amor, de amor a esmo; depois, um tutuzinho com torresmo conta ponto a favor...

    Conta ponto saber fazer coisinhas: ovos mexidos, camarões, sopinhas, molhos, strogonoffs — comidinhas para depois do amor. E o que há de melhor que ir pra cozinha e preparar com amor uma galinha com uma rica e gostosa farofinha, para o seu grande amor?

    Para viver um grande amor é muito, muito importante viver sempre junto e até ser, se possível, um só defunto — pra não morrer de dor. É preciso um cuidado permanente não só com o corpo mas também com a mente, pois qualquer "baixo" seu, a amada sente — e esfria um pouco o amor. Há que ser bem cortês sem cortesia; doce e conciliador sem covardia; saber ganhar dinheiro com poesia — para viver um grande amor.

    É preciso saber tomar uísque (com o mau bebedor nunca se arrisque!) e ser impermeável ao diz-que-diz-que — que não quer nada com o amor.

    Mas tudo isso não adianta nada, se nesta selva oscura e desvairada não se souber achar a bem-amada — para viver um grande amor.

    Texto extraído do livro "Para Viver Um Grande Amor", José Olympio Editora - Rio de Janeiro, 1984, pág. 130.


    Helder Fernando Gonçalves
    Helder Fernando GonçalvesExcelente Amigo Carlos Renê - O comentário vale o poema. Bem Haja

    0 0
  • 08/19/16--10:01: A Respeito do Futuro


  • 0 0
  • 08/19/16--10:01: A Respeito da: DISTÂNCIA


  • 0 0
  • 08/19/16--10:40: A Respeito de PRIORIDADES:


  • 0 0



    Quando te encontrei

    Após longo tempo,

    Juntos naquele espaço

    Duas chávenas de café

    Bem perto já esquecidas




    O mundo agitado

    À nossa volta corria.

    Mas eu nada via -

    Só os teus olhos

    Eu fixava!

    Tuas palavras eu queria,

    Em silêncio escutar.


    Algumas histórias

    Em turbilhão contaste.

    Satisfações vividas,

    Num certo dia!

    Com amigos festejaste,

    Em ambiente de alegria.

    Porém não reparaste,

    Quanto ali alguém sofria -

    Aquele que não fez parte

    Da tua felicidade,

    Naquele teu grande dia!




    Hélder Gonçalves


    Março 2012


    0 0
  • 08/21/16--19:12: Probabilidades


  • 0 0
  • 08/22/16--06:12: A Fotografia de um momento
  • Image courtesy of imagerymajestic at FreeDigitalPhotos.net

    0 0
  • 08/22/16--07:58: A prosseguir com dignidade
  • Comentários
    Maria Manuela Moreira
    Maria Manuela Moreira 
    para um poeta o infinito estás no seu querer...obr. por partilhar este maravilhoso pensamento....Bjs. Nella
    Helder Fernando GonçalvesHelder Fernando Gonçalves
     Obrigado Amiga. 
    É uma data que recordo com angústia 
    - o desaparecimento daquela que foi minha mulher-

    Maria Manuela Moreira
    Maria Manuela Moreiralamento a perda... 
    recordar é viver...momentos lindos não se podem esquecer...bjs.

     Bem Haja. 
    Sabe sempre bem uma palavra amiga

    Inês Zenha
    Inês ZenhaPara todos nós e para mim em particular o sentimento de perda é constante e inexplicável. Todos os dias a sua recordação e a sua falta me perturbam. Dói, dói muito, mesmo muito. Hoje todos somos um pouco aquilo que ela nos ensinou e nos influenciou tornando-nos melhores pessoas. Vejo-o, todos os dias claramente nos meus filhos de quem tenho grande orgulho. Ass: Helder (filho)
    Henrique Padinha
    Henrique PadinhaUm poema lindo, onde vibra o sentimento profundo de uma saudade inesquecível.
    Helder Fernando GonçalvesHelder Fernando Gonçalves Liliana Cigarra Gostei muito do que li,como o compreendo. O tempo passa, passa mas a saudade não se apaga e fica pra sempre.Um beijinho

     Também me lembrei de si, neste dia, minha amiga Lili. Caminhamos a mesma estrada, numa parceria de perplexidades e terríveis angústias que vamos superando com amizades e palavras de conforto que nos incitam a prosseguir com dignidade. Um beijo e bem haja pelas sua palavras que sei, serem bem sentidas!

    Alexandra Castelo Padinha
    Alexandra Castelo PadinhaAs palavras são o que fazemos delas. São como as cores numa tela, que o artista mistura com sentimento, revelando as imagens que transpiram da alma. Este poema Helder, tocou-me pela sensibilidade e pureza de sentimentos expostos, como um desabafo partilhado num pranto de tons pastel, de uma beleza imensa, respirando a dor, a ausência, o carinho, o amor, que existem sem forma, aqui rendidos aos contornos da poesia. Tão bela imagem da saudade, que partilho, de uma tão igualmente bela alma que partiu, amiga verdadeira, amizade sincera, daquelas que nos fazem crescer, e revelam o que de melhor há em nós… E que tão belas palavras, e que sortudos somos por as podermos ler. Obrigada por partilhar esta tela de sentimentos, que fazem jus à presença ausente, talvez não tão ausente assim, presente no pensamento e na memória de quem ama. Um grande xi apertado ao escritor amigo que agora sei ser poeta.

    Helder Fernando GonçalvesHelder Fernando Gonçalves
    Bem Hajas, querida Xana : 
    o teu comentário é eloquente!

    Maria Fatima Moreira Santos
    Maria Fatima Moreira Santose é mesmo, não fosse 
    a xana uma artista também


    0 0
  • 09/17/16--06:06: SP – Sindicato dos Pobres

  • Hoje inscrevi-me no Sindicato dos Pobres
    E dos Sem-Abrigo – Todos que sobrevivem
    Na terra dos Párias – País da Democracia
    Sem direito a voto – Cidadãos menos nobres
    Contra o Estado - Patrões que tudo decidem
    Luta pela melhoria da esmola – Ordem do Dia!

    Quero memorizar a Carta dos Direitos Humanos
    Aprender bem o significado da palavra Hipocrisia
    Que direitos poderia ter se a Justiça funcionasse
    Parlamento, Deputados - Tempo dos Romanos
    Aqueles que se servem e aproveitam da Democracia
    O vil dinheiro – Uma força que tudo isto alterasse.
    Quero ir para a rua, descalço – esfarrapado
    Com a plebe esfomeada e esquecida protestar
    Cartazes - Palavras de ordem – Quanto baste
    Punhos cerrados – Gritar, gritar não ficar calado
    Contra os Algozes – Os Pilatos, a não quererem mudar
    A riqueza, o conforto - Que deles jamais se afaste!


    Hélder Gonçalves
    Agosto 2016


    Comentários
    João Francisco Lima Santos

    BOM DIA a todos os sindicalistas do SP (Rsos!)

    João Francisco Lima Santos
     
    "Quero ir para a rua, descalço -. esfarrapado/Com a plebe esfomeada e esquecida protestar..." Grande, poeta e amigo HELDER! Parabéns!!!

    0 0





    Ouço, no teu colo

    Gritos ocultos

    Desejos contidos,

    Orgasmos travados.

    Sonhos desfeitos

    Sentidos no teu amar


    Tanta emoção!

    Feridas, ficaram.

    Golpes profundos,

    Ainda por sarar:

    Coisas do coração!


    Ouço, no teu colo,

    Cadencia - Alteração

    Escuto o respirar,

    O arfar da emoção.

    No silencio - Só os dois.

    Sem palavras!


    Bonitos envolvimentos:

    Enleados no desejo:

    Orgia dos sentimentos

    Coisas do coração!



    Docarmo


    29-05-2012


    0 0








    A Árvore que Plantei



    Tal como aquela árvore - Eu sou

    Faz muito tempo que perto a plantei

    Tanto cresceu – Como ficou frondosa!

    Muita sombra deu – Nunca parou

    Conforto oferecido - Nunca imaginei

    Que, por ser tão grande, era famosa


    Foi engrossando, tal como eu

    Através dos tempos continuando

    Nas quatro estações que atravessava

    Com raízes profundas se fortaleceu

    Pouco recebeu, do muito que foi dando

    Tão natural que era, pouco se reparava


    Os ramos foram com o tempo mirrando

    As folhas em breve neles duravam

    A sombra benfazeja, já, não se espalha

    Cores de cobre algumas, cedo iam ficando

    Antes do tempo muito breve caducavam

    Poucos reparavam no que já era uma falha


    Hoje permanece solitária, de todo despida

    Na mesma postura de forma vertical

    Sem utilidade nem beleza de outrora

    A árvore tão grande, de folhagem despida

    Permanece, agora, o tronco, até ao dia final

    Que alguém dali o retire e o mande embora!





    Hélder Gonçalves

    Outubro 2016











    0 0









    MEU CAMINHO

    Aconselhas o caminho.

    Dizes-me como fazer,

    Mil razões apontas:

    Proveitos imensos.

    Sabedoria não falta

    Contigo deverei seguir

    Pela tua mão

    Com o teu conselho

    A tua experiência

    Competência

    Mas...

    Seguir em trela?

    Nos caminhos que apontas?

    Proveitos imensos.

    Sabedoria não falta

    Estou cansado!

    Desiludido!

    Muita irreverência

    Pela muita advertência,

    Pelo muito saber

    Normas de um tratado.

    Não quero ir contigo

    O teu caminho seguir.

    Quero ir só

    Com o meu sonho,

    Com o meu tédio,

    A minha ignorância,

    Incompetência.

    Solitário!

    Com o meu querer,

    O pouco saber,

    Irei aprender,

    Talvez...

    Até sofrer.

    Simplesmente eu:

    Com a minha ilusão

    Impreparação,

    Meus erros

    Sentimentos, amor

    Mas…

    Quero ir SÓ!



    Hélder Gonçalves/Docarmo




    0 0
  • 12/07/16--14:25: Boas Festas


  • 0 0





    Eu Sou Feita De Pedaços De Espelhos

    Sabe…

    Eu sou feita de cacos de vidro

    Entre eles há espelhos, aço,

    E pedacinhos de margaridas.


    Por vezes machuco quando tento dar

    carinho.


    Mas me perdoa...


    Peço  perdão...


    Mas não vê que sou bem-me-quer

    E mal- me –quer também?


    Se às vezes cego seu olhar com

    Lágrimas de tristeza.


    Perdão, perdão Meu Aba adorado...


    O aço quando fundido ele derrete

    E queima.


    Não foi por mal querer.


    Sou feita de fragmentos de espelhos

    Onde vê em minha alma o feio e o belo,

    a imperfeição do que não sou perfeita

    Por isso se muitas vezes por palavras e

    atos.


    Já dilacerei o seu coração

    Peço com humildade...


    Me perdoe

    pois sou tão humana quanto és humano.


    Sei que sou feita de cacos de vidro, que

    corta, fere, reflete as vezes não o

    melhor de mim, e sim o pior.


    Mas peço não me queira mal, perdoe-me.


    Sou apenas uma estrangeira na terra de

    ninguém.


    Em carne e osso muitas vezes

    desacertando para acertar.

    Perdão...


    Ronilda David/Loubah Sofia


    Em “Deuses, Diabos & Lobos”


    0 0







    Honradez... Tua Manta De Diamantes
    Amanheça Para a vida, Para o melhor quetem Respeita a aliança Acredite que adiante O real do que éseu legado Espera...
    Amanheça Para a boa vontade de Dar as mãos E o perdão, compartilhar Os sonhos Os sorrisos O pão...
    Amanheça E dê avocê, perdão Porque o erro reconhecido É acolhedor para a alegria Da humildade que afasta a tristeza ... E traz a esperança de que... Hoje, vai dar certo!

    0 0
  • 06/19/17--19:12: Probabilidades
  • Comentários
    Helder Fernando GonçalvesA inquietude que te domina e que é o alimento da tua alma tem o dom de fazer de ti uma poetisa de mão cheia. Tua vida atormentada envolve-te numa constante perplexidade. Ao ler-te sempre me fica a nítida consciência da tua alma doce mergulhada numa infinita e suave tristeza. Parabéns

    Helder Fernando GonçalvesMerece um brinde ao meu jeito

    0 0



    Era para ser ao contrário dessa fumaça, que assoprada ou mesmo inalada se vai...
    Era para ser volátil como um passe despercebido de mágica.
    Era para ser apenas alguns segundos de choro, de lágrimas vazias de alegrias, preenchidas de solidões vis.
    Era para ter sido, mas nunca foi, pois sempre é... Essa dor corrupta, invasora, que desdenha da minha confusão por não compreender, as razões da vida em impor ela em mim, como carrasca sorridente, calada e persistente.
    Era para ser uma nesga do que passou e dormiu no tempo, mas vejo que é meu presente: Resistente, crítico e decadente.


    Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬



    0 0
  • 07/21/17--17:49: Gestos e Desgostos


  • Direi que ao invés das dores
    Da impiedade na alma que tinha
    Das feridas, tormentos e pudores


    Amnésia amaldiçoada tão minha

    Na roda da labuta – Perdida a Fé
    No eco da lógica irracional
    Talvez terror de mais um pontapé
    Tentativa tola, vã e anormal


    Óh saudade do que jamais fui
    Nem mesmo em sonhos loucos 
    Desvario torto – Assim se conclui
    Exausta, descansar precisarei um pouco


    Finalmente
    Finalmente
    Finalmente
    Isso
    Somente !



     Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬
    imagem internet



    0 0


    De pedaços de poesias 
    Fiz uma nuvem de melodias 
    No mundo de suaves revoadas 
    Valsando em asas encantadas 

    Nas palavras erguendo magias 
    Dançando sons em rapsódias 
    De paixões fragmentadas e fugidias 
    Acolá, chegarei com outras histórias

    Nos passos -  Carinho ao aconchegar 
    Com doçura que imagina minha mente 
    Meus sentidos se elevam  ao prestar 
    Em compasso de superação finalmente! 

    De Ti em mim sonhos... 
    Infinitamente. 



     Ronilda David in ‪#‎AQuânticadaestupidainteligência‬














    0 0






    Para Ti, o que podia ser um Poema


    Para Ti e por Ti, tento ser poeta.

    Mas, nessa vã tentativa, tolamente só alcanço voar em asas infinitas,
    seguindo para além do eterno, respirando ao som de lágrimas protegidas pela esperança: De mais um abraço apertado e mais um longo e doce beijo

    Sabe...

    Gostava de ser Poeta como Tu, somente para ter o poder de falar do meu coração direitinho apontado ao teu, mas a minha tentativa é tão tola - Pois sei que esse meu escrever de poeta nada tem, além de seguir em dor pela constância da madrugada, tecendo dentro do meu coração o mais perfeito da tua alma amada num receio de perder o fio do que em mim parece ser inteligência.
    Porque amando-te meu Anjo, eu...queria ser poeta singela como as flores,

    Cálida como o amanhecer, terna como o teu sorriso. Porém terei de enfrentar a dura realidade aceitando contente, como uma pobre agradecida, a escassa esmola em aqui, ficar - Sentindo-te, olhando-te  apaixonada, entregue ao deleite do encanto e à saudade que sempre mora dentro de mim!


    Ronilda David em “Alma feita de Ti”